2 ouvidos, 1 boca.

Teorias

Tive uma colega de trabalho, acabada de sair da faculdade e com menos de um ano de experiência, que começou a sentir as dores de trabalhar numa empresa de grande dimensão.

As decisões do chefe, os stresses com os colegas e, sobretudo, as críticas e conselhos que recebia dos outros, sem ter pedido nada…

Um dia, ela perguntou-me:

“Se voltasses à fase da tua vida onde tinhas um ano de experiência, qual seria o conselho que darias a ti mesmo?”

Eu não soube responder, porque fui apanhado de surpresa.

Fiquei ali uns momentos sem saber o que dizer porque nunca tinha imaginado efetivamente uma resposta para essa pergunta.

Aquela pergunta não me saiu da cabeça, e andei uma semana a refletir sobre ela.

Quando cheguei a uma conclusão, convidei-a para ir tomar um café a meio da manhã, para finalmente lhe responder…

Eu: “Lembras-te daquela pergunta da semana passada?”

Ela: “Sim!”

Eu: “Foi das melhores perguntas que já me fizeram, porque parece algo tão simples, mas para mim não foi. Durante uma semana que ando a pensar nisso e já tenho a resposta.”

Ela: “Então, qual era o melhor conselho para ti mesmo?”

Eu: “O conselho seria ouvir mais do que falar. Nós temos 2 ouvidos e 1 boca, e além das razões mais científicas, é porque devemos ouvir pelo menos o dobro do que dizemos.”

E continuei…

Eu: “Ouvir não é só as palavras entrarem a 100 e sair a 200.


É escutar, “encaixar”, refletir e depois responder.

Isso sim é sinal de maturidade, experiência e confiança.

Sinto que se já me tivesse apercebido disso mais cedo, tinha evitado muitas situações em que saí a perder porque não escutei, apenas ouvi e respondi logo.”

Ela ainda hoje me agradece esse conselho.

E vocês, o que responderiam se tivessem recebido essa pergunta?

Partilhe

Last modified: Dezembro 1, 2020